Correção de Simastia

Correção de Simastia



O que é Simastia?

Conhecida também como sinmastia, trata-se da confluência das mamas no sentido medial, com a consequente perda do sulco intermamário, formando uma ponte de tecido na linha média que une as mamas. Ou seja, as mamas ficam um aspecto unido, como se estivessem “coladas”.


Causas:

A causa da simastia pode ter origem congênita, normalmente associada a mamas hipertróficas (grandes), geralmente simétricas, porém a ocorrência mais frequente atualmente se dá por conta da mamoplastia de aumento ( inclusão de prótese de silicone), normalmente em cirurgias realizadas de modo inadequado. A simastia nesse caso, ocorre como consequência do deslocamento medial ( para o centro do tórax) das próteses. Essa movimentação excessiva da parte medial das mamas está geralmente associada a inclusão de próteses muito grandes ou imperícia por parte do cirurgião (ex: descolamento excessivo na região do esterno na hora de confeccionar a loja – espaço que acomodará a prótese). O médico deve ter critério e nunca utilizar uma prótese maior que a indicada para cada caso, mesmo que a paciente deseje.
Uma outra causa que pode provocar a sinmastia, ou simastia, são os traumatismos e hematomas, que acabam causando a contratura capsular da prótese, que pode empurrá-las e deslocá-las no sentido medial, unindo-as. A contratura capsular nada mais é do que a cicatrização com contração da cápsula que envolve a prótese. As causas são as mais diversas e vão desde reação natural do organismo ao tipo de prótese utilizada).
A simastia pode acontecer também devido a presença de seroma, que é o acumulo de líquidos no espaço da prótese (loja). Quando o seroma é grande ou persistente, pode descolar a pele da mama no sentido medial, dando origem ao problema.


Tratamento:

A correção da simastia ( ou sinmastia) deve ser feita de forma cirúrgica e com critérios, especialmente na escolha do cirurgião, pois não se trata de um procedimento de simples execução. São realizadas técnicas complementares para que o resultado cirúrgico seja o mais satisfatório possível. Entre elas estão:

- troca do implante: Em casos onde o problema ocorreu por conta do tamanho da prótese, deve-trocar por um tamanho menor (isso ocorre na maioria das vezes).
- Capsulectomia medial extensa, que é a cirurgia de retirada do pedaço da cápsula com contratura, na parte central. Trata-se de uma técnica específica para corrigir o problema.
- Capsulorrafia interna cuidadosa, que é a costura interna da cápsula ( o que sobrou dele) dentro da mama. Nesse processo, a mama é redesenhada, refazendo toda a sua curvatura.

A cirurgia é realizada, na maioria das vezes pela própria incisão da cirurgia anterior, não havendo novas cicatrizes no local, o que representa um grande benefício para a paciente. A adesão ao tratamento é muito importante, pois os cuidados pós operatórios são bastante restritivos, apesar de o pós-operatório ser indolor na maioria das vezes. O tempo médio de recuperação total é de 30 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *